ECONOMIA

CUITEGI

FOTOS

EMPREGOS

VIDÊOS DE EVENTOS

g2portaldenoticias.com 20.5.20 A+ A- Print Email

Vídeo: Governador alinha discurso com Bolsonaro e diz que para 85% covid-19 será uma pequena gripe

252
Foto Reprodução

Após inúmeros decretos que estabelece regime de quarentena em toda a Paraíba em decorrência da pandemia do novo coronavírus, o governador João Azevedo (Cidadania) resolve polemizar e alinha o discurso ao do presidente Jair Bolsonaro, que taxou o vírus como uma “gripezinha”. Em entrevista à TV Master, João Azevedo afirmou que para 85% da população paraibana a contaminação pelo coronavírus não passará de uma pequena gripe.

Na Paraíba, pela força do mais recente decreto de João Azevedo, estão proibidos a realização de missas, cultos e quaisquer cerimônia religiosa, suspende as atividades da construção civil na região da Grande João Pessoa, fecha todos os terminais rodoviários no estado da Paraíba, paralisa o transporte intermunicipal, bem como da balsa que faz a travessia Costinha/Cabedelo/Costinha, além de proibir o funcionamento de academias, ginásios e centros esportivos públicos e privados, shoppings, galerias, centros comerciais, bares, restaurantes, casas de festas, casas noturnas, boates e estabelecimentos similares, cinemas, teatros, circos, parques de diversão e estabelecimentos congêneres, públicos e privados, entre outros.
Confira o vídeo:

A declaração do governador João Azevedo repercutiu no meio político e nas redes sociais.
No Instagram, o deputado estadual Wallber Virgolino questionou a fala de João Azevedo. “Eu estou enganado ou o Nobre Governador da Paraíba, em entrevista ao programa CONEXÃO MASTER, subestimou a COVID-19 e ponderou que para 85% das pessoas o vírus é apenas uma pequena gripe”, postou o deputado. “Gripezinha? Temos como dar credibilidade a um governo desses?”, questionou o deputado.
Confira o post:
Gripezinha? Estudo mostra que covid-19 é muito mais mortal que gripe comum
A covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, é mais mortal que a gripe? Muito mais, conclui um novo estudo da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, e publicado na revista especializada Health Affairs. A pesquisa também aponta um futuro sombrio para países que não estabelecerem uma luta firme contra a disseminação do vírus, destaca reportagem do Correio Braziliense.
Após analisar os dados dos pacientes diagnosticados com o novo coronavírus nos Estados Unidos, os autores da pesquisa estimaram em 1,3% a taxa nacional de mortes entre as pessoas que foram infectadas pelo SARS-CoV-2 e apresentaram sintomas. Como comparação, o índice de óbitos entre os pacientes que pegam gripe comum é 0,1%.
“A covid-19 é mais letal que a gripe. Podemos encerrar esse debate”, afirmou, em um comunicado à imprensa, Anirban Basu, um dos autores da pesquisa e professor de economia da saúde na Universidade de Washington.
Para coletar os dados, a Escola de Farmácia da universidade criou um site que coleta os casos e as mortes em 116 condados de 33 estados norte-americanos. O professor Basu ressalta que o site ajuda a criar um panorama atualizado da pandemia em diferentes regiões dos Estados Unidos e a estimar, de maneira mais confiável, o impacto do vírus se ele se disseminar de maneira ampla.
E as perspectivas são preocupantes, afirma o pesquisador. Segundo ele, cerca de 3,5 milhões de americanos (pouco mais de 1% da população) foram infectados pelo vírus da gripe na temporada de 2018 e 2019. Se o mesmo número de pessoas for infectado pelo novo coronavírus e apresentar sintomas, a quantidade de mortes nos Estados Unidos poderia ser entre 400 mil e 500 mil.
Porém, o novo coronavírus tem se mostrado mais infeccioso que o vírus influenza e tem potencial para contaminar um número muito maior de pessoas. Basu, então, afirma que, se 20% da população americana forem infectados, o total de mortos poderia variar entre 350 mil e 1,2 milhão de pessoas.
Por ThiagoMoraes – paraibaradioblog.com
3
0 Comentários

Postar um comentário