ECONOMIA

CUITEGI

FOTOS

EMPREGOS

VIDÊOS DE EVENTOS

g2portaldenoticias.com 30.4.20 A+ A- Print Email


Banda Grafith faz live solidária para beneficiar profissionais autônomos do turismo

A Banda Grafith fará neste domingo (3), às 17h, mais uma live solidária no YouTube. Desta vez, o show transmitido pela internet tem o objetivo de ajudar os profissionais autônomos do turismo e amenizar o impacto causado pela pandemia do novo coronavírus no Rio Grande do Norte. A iniciativa é da Secretaria Estadual de Turismo e da Emprotur e visa ampliar a divulgação da campanha RN+Unido, que arrecada recursos que serão revertidos na aquisição de cestas básicas e kits de higiene.

"A conjuntura atual demanda esforços conjuntos para que os trabalhadores mais afetados pela pandemia tenham condições mínimas de sobrevivência. O turismo é o segmento que mais tem sofrido com a paralisação das atividades e, por esse motivo, construímos essa parceria com a banda Grafith e contamos com o apoio de todos", destacou Aninha Costa, secretária de Turismo.

O link para as doações - a partir de R$ 25 - já está nas redes sociais do governo do RN, da Secretaria de Turismo, da Emprotur e da própria banda. A campanha tem o apoio da Associação Brasileira de Agentes de Viagem (Abav RN), da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH/RN), Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel/RN), Natal Convention, e dos sindicatos de Hotéis, Restaurantes e Similares (SHRBS/RN), de buggy (Sindbuggy/RN), das Empresas de Turismo (Sindetur), e dos Guias de Turismo (Singtur).

Longe do filho há dois meses, enfermeira relata tensão no combate ao coronavírus: 'somos a família do paciente'

Os expedientes de seis horas se transformaram em plantões de 14 a 16 horas diárias. Não há fim de semana, não há feriado. A enfermeira Gabriela Cruz, 35 anos, deixou o filho de 6 anos com os pais, no interior, há dois meses, desde que começou a atuar diretamente no combate ao novo coronavírus no Hospital Giselda Trigueiro, referência para doenças infectocontagiosas, e primeira unidade a receber pacientes suspeitos para a Covid-19 no Rio Grande do Norte. Desde então, vê o menino a cada 10 ou 15 dias.

“A gente liga um para o outro, chora, mas eu digo que a mamãe está fazendo isso para proteger ele”, conta a profissional que tem 11 anos de profissão e há três é diretora de enfermagem da unidade de saúde. “A gente não tem medo de adoecer. Temos medo é de alguém da nossa família adoecer, de ficarmos nos sentindo culpados”, conta ao G1 por telefone.

Sob seu comando, são cerca de 350 técnicos de enfermagem e 50 enfermeiros trabalhando em um ritmo exaustivo. Até agora, nenhum profissional que trabalha na unidade adoeceu, mas a sobrecarga física e emocional preocupa.

“É uma sobrecarga emocional muito forte. É um trabalho exaustivo, com a tensão de fazer tudo certo para o paciente, de conseguir atender a todos, de fazer tudo certo para evitar contaminação. Se houver um óbito, temos que saber que fizemos tudo que estava ao nosso alcance. O paciente fica isolado e a gente não pode deixar ele sozinho. Ali nós somos a família dele”, conta.

A tensão se converte em euforia e motivação nas pequenas vitórias. Nesta quarta-feira (29), a comemoração era pela melhora de um jovem paciente de Covid-19, que estava em uma situação “gravíssima” e conseguiu melhora no quadro.

Jovem faz festa com dinheiro de auxílio emergencial e é presa por perturbação de sossego no Ceará

A Polícia Militar prendeu uma jovem por perturbação de sossego alheio ao realizar uma festa nesta terça-feira (28) em Camocim, no Ceará. Conforme os policiais que efetuaram a prisão, a mulher de 20 anos afirmou que celebrava a retirada dos R$ 600 do auxílio emergencial, ofertado pelo Governo Federal durante a pandemia de coronavírus.

Conforme os policiais, no momento da prisão a suspeita chegou a questionar se não poderia “curtir em casa com o dinheiro do Governo”.

A organizadora da festa contrariou também o decreto em vigor no Ceará que proíbe o funcionamento do comércio não essencial e de aglomerações, incluindo festas particulares.

A festa em que a mulher foi presa ocorria no Bairro Cruzeiro, em Camocim. A polícia recebeu a denúncia de vizinhos, através do 190, de que uma residência estaria emitindo um barulho de música alto, através de caixa amplificada, e juntava pessoas ingerindo bebidas alcoólicas.

Conforme a Polícia Militar, agentes do Policiamento Ostensivo Geral (POG) foram até o local e encontraram a proprietária, que concordou em desligar o aparelho de som. Porém, momentos após a saída da viatura, novas denúncias foram feitas informando que a mulher voltou a ligar a caixa amplificadora, desta vez, em volume mais alto.

Os militares retornaram a casa e deram voz de prisão à mulher que, segundo o relatório dos agentes, argumentou que não estava fazendo nada de errado.

Ela foi levada à 3ª Companhia da Polícia Militar, eem Camocim, e foi solta após assinar um termo circunstanciado de ocorrência (TCO) pelo crime de “perturbar alguém, o trabalho ou sossego alheios”. A pena é de prisão de 15 dias a três meses ou multa, em caso de condenação.


3
0 Comentários

Postar um comentário