ECONOMIA

CUITEGI

FOTOS

EMPREGOS

VIDÊOS DE EVENTOS

g2portaldenoticias.com 20.3.20 A+ A- Print Email

Ônibus param de circular por 15 dias em João Pessoa; bares e restaurantes fecham

A decisão tem início a partir de amanhã (21) e é válida por 15 dias, podendo ser prorrogada

O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, determinou, nesta sexta-feira (20), a suspensão das atividades do transporte coletivo e o fechamento de bares, restaurantes e lanchonetes. Clubes sociais, salões de beleza, clínicas de estética, casas noturnas, de festas ou de espetáculos também deverão deixar de funcionar. A decisão tem início a partir de amanhã (21) e é válida por 15 dias, podendo ser prorrogada.
O fechamento de bares e restaurantes resultou do diálogo da administração municipal com a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel-JP) e com o Sindicato das Empresas de Hospedagem e Alimentação (Seha-JP). As entregas por delivery estão mantidas, desde que adotadas as medidas estabelecidas pelas autoridades de saúde de prevenção ao contágio. Na Orla, os quiosques também devem deixar de funcionar. Lanchonetes, bares e restaurantes de hotéis seguirão em funcionamento, mas apenas para uso exclusivo dos hóspedes, preservando as recomendações de higienização e distanciamento entre mesas.
Em reunião entre a Superintendência de Executiva de Mobilidade Urbana (Semob) e o Sindicato das Empresas de Transportes Coletivo Urbano de João Pessoa (Sintur-JP) ficou acordada as paralisação temporária do serviço, reduzindo a circulação de pessoas. O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, disse que a diminuição da exposição das pessoas ao vírus pelo isolamento social tem sido uma das medidas mais indicadas no combate à Covid-19.
“A Organização Mundial de Saúde tem tratado o novo Coronavírus como inimigo da humanidade, um inimigo invisível. A luta deve ser permanente e o esforço coletivo. Ninguém gostaria de tomar medidas tão duras, mas é necessário que sejam tomadas, não só no Brasil, mas no mundo inteiro. Quando vidas estão em risco, não há tempo a perder”, disse o prefeito Luciano Cartaxo.
Outras ações - Congressos e exposições ficam proibidos na capital paraibana. O decreto também prevê a redução no número de pessoas que atuam em call centers. Prazos para sindicâncias, processos e recursos administrativos, inclusive tributários, estão temporariamente suspensos.


Comentários (1) 




3
0 Comentários

Postar um comentário