Seguidores

ECONOMIA

CUITEGI

FOTOS

EMPREGOS

VIDÊOS DE EVENTOS

g2portaldenoticias.com 27.4.19 A+ A- Print Email
 
  • notícia em áudio
2020 À VISTA: a pouco mais de 1 ano e meio para as eleições, CG já tem sete pré candidatos a prefeito; cinco do mesmo agrupamento político
Com mais de 280 mil eleitores, Campina Grande promete mais uma vez ter uma eleição disputada em 2020. Comandar os destinos do segundo maior colégio eleitoral da Paraíba, é um sonho de todo político, que enxerga no Palácio do Bispo, sede do governo municipal, numa ponte para o Palácio da Redenção. A corrida sucessória na Rainha da Borborema, já começou, e deve resultar numa disputa interna entre os aliados do prefeito Romero Rodrigues (PSDB).

A pouco mais de 1 ano e meio das eleições, PMCG já tem sete pré-candidatos no páreo; cinco são da base de Romero. Sonham em governar Campina Grande, a partir de 1º de janeiro de 2021, os deputados Manoel Ludgério (PSD) Bruno Cunha Lima (sem partido) Pedro Cunha Lima (PSDB) Nelson Gomes (sem partido), Pimentel Filho (PSD); Ana Cláudia (Podemos) Inácio Falcão (PCdoB).

A disputa pelo voto no entanto, não será apenas nas urnas, mas internamente com a definição das candidaturas. A briga maior pela cadeira de Romero Rodrigues e pela chave do Palácio do Bispo, deve ser mais acirrada entre o agrupamento político do qual faz parte o ex senador Cássio Cunha Lima. Pelo menos cinco candidatos da base de Romero querem o aval do gestor para concorrer ao pleito.

O primeiro a declarar publicamente a pretensão de disputar a PMCG, foi o deputado estadual Manoel Ludgério (PSD). Manoel destacou que o nome dele está posto dentro de um “requisito de lealdade”, mas não como “instrumento de desavença” dentro do grupo político ao qual pertence.
– Eu tirei um título de eleitor, lá em 1986, para votar em Cássio, deputado constituinte. A partir daí, eu nunca deixei de seguir o meu agrupamento político em Campina Grande. Participei de momentos difíceis. Perdemos uma eleição em 2004 e passamos oito anos na oposição. Em um período desses oito anos éramos oposição no Estado, porque o governador era José Maranhão, e aqui em Campina. Fui com Cássio no momento mais difícil da sai vida pública, que foi o seu segundo mandato de governo, onde eu era o líder do governo, e fui o último a sair com ele no Palácio da Redenção com ele [Cássio], quando Zé Maranhão tomou posse. Na mesma noite tornei-me líder da oposição quando ninguém queria liderar – pontuou.
Manoel não é o único a sonhar com o Palácio do Bispo. O ex-deputado estadual Bruno Cunha Lima que nas eleições de 2018, foi o candidato a deputado federal mais votado em Campina Grande, também se lançou pré-candidato a PMCG. Neto de Ivandro Cunha Lima, Bruno disse que sua pré-candidatura está surgindo naturalmente e espera pelo apoio do grupo.

“Em relação em disputar a Prefeitura de Campina Grande ano que vem, sim é natural até pelo resultado da eleição passada onde fui o mais votado em Campina. Sobretudo pela forma como faço política sem ter nenhum tipo de troca pelo voto. Isso é extremamente importante é conectado ao que as pessoas querem. É o recado que a gente conseguiu passar nessas eleições”, disse Bruno.
Outro nome que surge como opção da base de Romero para o pleito de 2020, é o deputado federal Pedro Cunha Lima. O filho do ex senador Cássio Cunha Lima (PSDB), deixou claro que gostaria muito de governar a Rainha da Borborema.
“Meu nome está à disposição. É impossível para um campinense não ser apaixonado e louco por Campina e para quem está na vida pública não buscar essa oportunidade no Executivo. É algo que eu sofro uma frustração muito grande no Legislativo. Tem grande peso estar em um colegiado de 513 deputados, querer fazer um monte de coisas e não conseguir. Ficar só no discurso e apresentação de projetos”, destacou.
Sonham ainda em encabeçar a futura chapa majoritária com apoio de Romero, os vereadores Nelson Gomes e Pimentel Filho.
Oposição – Com apoio do governador João Azevedo (PSB), do ex governador Ricardo Coutinho (PSB), e do senador e ex-prefeito da cidade Veneziano Vital do Rêgo (PSB), a oposição promete chegar forte em 2020. O nome mais cotado para encabeçar a chapa majoritária, é da secretária Ana Claudia Vital do Rêgo..
A ex-primeira-dama de Campina Grande e atual secretária do Desenvolvimento e Articulação Municipal do Estado, admitiu disputar a Prefeitura da Rainha da Borborema nas eleições de 2020. Apesar de não descartar a possibilidade, Ana Cláudia pregou cautela e disse que cada eleição deve ser tratada no seu tempo.
Ana Cláudia disse que como filha de Campina Grande seria uma honra muito grande chegar ao posto de prefeita. Ana Cláudia disputou uma das 12 cadeiras na Câmara Federal, mas terminou a disputa como 1ª suplente de sua coligação, com 49.248 votos. Apesar da derrota, o grupo Vital saiu fortalecido com a eleição de Veneziano (PSB) como senador. O socialista foi o mais votado na disputa com 844.786 votos.
A oposição garante que vai chegar unida em 2020, e não repetir os erros estratégicos das últimas eleições municipais. Para isso, deve apresentar um a única candidatura. No entanto, essa tese ainda não está firmada, e o bloco pode sair com pelo menos duas candidaturas.
O deputado estadual Inácio Falcão, já adiantou quase de forma irredutível, que só não será candidato nas eleições de 2020, em Campina Grande, se Deus não quiser. Apesar da afirmação, o parlamentar da Assembleia Legislativa da Paraíba tratou de dizer que seu nome não será imposição, mas deverá ser uma decisão do grupo oposicionista a Romero Rodrigues.
– Só se Deus não quiser, mas estamos conversando com toda a base de oposição e estamos defendendo que temos que sair unidos e que possamos usar critérios na escolha do candidato. Eu me coloco à disposição, mas temos nomes como de Dr. Damião, Lígia Feliciano, Veneziano, Ana Cláudia, Anderson Maia, Galego do Leite, Olímpio Oliveira. São pessoas com capilaridade e que podem enfrentar a candidatura a prefeito e concorrer de igual modo com o candidato do prefeito Romero Rodrigues – contou.
Ele destacou que já se coloca como pré-candidato, mas é preciso uma pesquisa junto ao eleitor para que o nome definitivo seja elencado.
– Vamos adotar critérios na escolha do nome e não é simplesmente dizer que é candidato. Eu coloquei meu nome à disposição, mas dentro de um acordo se toda oposição disser que sim. Se o grupo entender que será outro candidato, não tem problema, seguirei a determinação – ressaltou em entrevista a Rádio Campina FM..

Defensor de uma candidatura única da oposição para a Prefeitura de Campina Grande na eleição de 2020, o deputado estadual Inácio Falcão (PCdoB) diz esperar que o pré-candidato seja escolhido e consolidado pelo grupo ainda neste ano.
Na avaliação dele, a escolha é necessária para que o grupo possa iniciar “o trabalho nos bairros”. Além disso, diz que é preciso também pedir o acompanhamento deste nome nas obras do Governo do Estado.
– Acredito que agora em 2019 vamos definir de fato e de direto o candidato – afirmou

A tendência é que as candidaturas sejam definidas até junho do próximo ano, sendo que o caminho para o Palácio do Bispo, já está sendo pavimentado deste agora pelos futuros prefeitáveis.
Severino Lopes
3
0 Comentários

Postar um comentário