Seguidores

ECONOMIA

CUITEGI

FOTOS

EMPREGOS

VIDÊOS DE EVENTOS

Suspeito de agredir a mulher em Campo Grande, Fábio Tuffy Felippe é solto


Fábio Tuffy Felippe, de 44 anos, acusado de espancar a mulher, em Campo Grande, zona Oeste do Rio, já está solto. A prisão temporária era de 30 dias, mas o empresário ficou uma semana na cadeia. A defesa conseguiu revogar a decisão e ele foi solto dia 11 de janeiro, como mostrou a GloboNews neste sábado, dia 19.
Após soltá-lo, a Justiça determinou o cumprimento de medidas protetivas, como: Fábio está proibido de se aproximar numa distância de 300 metros de Thais Christini Cardoso de França Felippe (com quem estava casado até o fim de 2018), de parentes dela e de testemunhas. O empresário está proibido de fazer qualquer contato com a vítima, seja por ligação ou mensagens. E está proibido de frequentar a casa de Thais Christini.
Fábio é acusado de ter agredido Christini no último dia 21 de dezembro. Imagens da vítima com o rosto desfigurado, com os olhos roxos e inchados, foram compartilhadas nas redes sociais por parentes, que registraram o caso na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam), em Campo Grande. Segundo a delegada Cristiane Almeida, responsável pela investigação, um dos parentes revelou, em depoimento, que Felipe ameaçou matar a mulher se ela denunciasse as agressões.
Na delegacia, após as denúncias de seus parentes, Cristini não quis prestar depoimento para não prejudicar o marido. De acordo com a polícia, as agressões se deram porque o acusado não aceitava o fim do relacionamento. Segundo testemunhas, as agressões duraram cerca de três horas. Durante esse período, Fábio teria probido a mulher de se aproximar de seu celular para pedir socorro. De acordo com a delegada, Fábio já havia sido denunciado à polícia por sua ex-mulher por ameaças.
Fábio Tuffy Felippe é filho do presidente da Câmara dos Vereadores do Rio, Jorge Felippe (MDB). O vereador se manifestou em vídeo postado em uma rede social contra o ato que teria sido cometido pelo filho:
“Quem pratica violência, tem que responder pelo ato”, disse Jorge Felippe.

 G2

3
0 Comentários

Postar um comentário