Seguidores

ECONOMIA

CUITEGI

FOTOS

EMPREGOS

VIDÊOS DE EVENTOS

um professor de Química foi agredi
do por um aluno
Aluno foi levado ao 1° Distrito Policial de Guarujá, SP, e acabou liberado (Foto: Anna Gabriela Ribeiro / G1)
dentro
 da sala de aula na Escola Estadual Milton Borges Ypiran
ga, no bairro Vila Zilda, em Guarujá, no litoral de São Paul
o. A confusão aconteceu após uma discussão entre o do
cente e outros estudantes da classe, que teriam se desen
tendido por um motivo ainda não esclarecido.
A situação aconteceu na quarta-feira (23). De acordo co
m a Polícia Civil, em depoimento, o aluno, de 18 anos, af
irmou que o professor, de 51, entrou alterado na classe e
 se desentendeu com os estudantes logo após o início da
 aula.
Ainda segundo o relato às autoridades, durante a discus
são, o jovem se exaltou e partiu para cima do professor, q
ue revidou lhe dando um ‘pisão’ e uma cuspida no rosto. 
Nervoso, o estudante se descontrolou e jogou uma das c
adeiras usadas na sala na cabeça do docente.
O depoimento do jovem, segundo o delegado do 1º Distri
to Policial da cidade, Estevam Gabriel Urso, foi desmenti
do pelo professor. "Ele alegou que apenas chamou a ate
nção da classe, e sem motivos o aluno jogou a cadeira".
O docente sofreu um corte na cabeça e precisou ser leva
do ao Pronto Socorro da Vila Edna, onde tomou pontos n
o ferimento. Ele e o jovem foram levados ao 1º DP, onde p
restaram depoimento. O estudante assinou um termo circ
unstanciado e foi liberado em seguida. Ele responderá po
r lesão corporal dolosa.
"Uma cópia do termo foi encaminhada ao Fórum, onde ac
ontecerá a audiência nos próximos dias, e outra para a dir
etoria da escola", explica Urso. Já o professor, após o dep
oimento, foi ao Instituto Médico Legal (IML), onde fez exa
me de corpo de delito.
Alunos da unidade, que não quiseram se identificar, afirmaram que, logo após a confusão, os outros professores da escola, em protesto, s
e recusaram a entrar nas salas de aula, e por isso os est
udantes acabaram liberados antes do horário habitual.
De acordo com a Diretoria Regional de Ensino de Santos, todo o apoio está sendo dado ao docente, que está afastado de suas atividades, e que o aluno é maior de idade e responderá pelos atos, conforme legislação vigente.

Violência nas escolas

3
0 Comentários

Postar um comentário