Seguidores

ECONOMIA

CUITEGI

FOTOS

EMPREGOS

VIDÊOS DE EVENTOS

" Foi enterrada viva" Menina desaparecida de 10 anos é achada enterrada no quintal da própria casa


Aos 10 anos de idade, Alanna desapareceu enquanto estava sozinha em casa, durante uma entrevista de emprego da mãe; ex-padrasto é principal suspeito

Corpo de Alanna Ludimilla foi encontrado por policiais%2C na manhã desta sexta%2C enterrado no quintal da casa onde ela viviaCorpo de Alanna Ludimilla foi encontrado por policiais na manhã desta sexta enterrado no quintal da casa onde ela vivia

Foto: Reprodução/Arquivo pessoal

O corpo da menina Alanna Ludimilla Borges Pereira, de 10 anos, que estava desaparecidadesde a última quarta-feira (1º), em Paço do Lumiar, Região Metropolitana de São Luís, no Maranhão, foi encontrado enterrado em uma cova rasa no quintal da própria casa, na manhã desta sexta-feira (3).

Alanna Ludmilla desapareceu depois que a mãe saiu para uma entrevista de emprego e a deixou em casa, sozinha. De acordo com a mãe da criança, essa não foi a primeira vez que Alanna teve que ficar só em casa e já sabia que não deveria deixar ninguém entrar, enquanto a mãe não chegasse.

O principal suspeito do homicídio de Alanna é o ex-namorado da mãe dela, identificado como Robert Oliveira. Recentemente, Robert e a mãe da cirança se separam. Ele ainda chegou a prestar depoimento na madrugada posterior ao dia do desaparecimento da menina, porém, não é encontrado desde então.

O corpo da criança foi encontrado debaixo de telhas e entulho. De acordo com as investigações, ainda não ficou claro se ela foi morta na própria quarta-feira ou se o corpo foi deixado lá mais tarde.

O ex-padrasto da menina é principal suspeito por causa das imagens de segurança colhidas pela polícia, diretamente das câmeras que estavam posicionadas próximas à casa da vítima. No momento em que a menina sumiu, Robert é visto pela região.

Mais informações:
Segundas informações a menina foi enterrada viva


Para a autoridade policial, quem cometeu o crime usou de requintes de perversidades e amarrou a criança, a espancou com violência, e depois enterrou o corpo coberto de sacos plásticos transparentes e a cabeça com um saco preto.

Segundo a primeira pessoa que localizou o corpo, o vizinho Nonato Vasconcelos, ela estaria sem as roupas quando foi desenterrada. Disse que sentiu hoje, por volta das 9h, um forte odor e que, na medida em que se aproximou de uma cerca no quintal, o fedor aumentou ainda mais.

Ele pulou pro quintal e começou a retirar pedaços de pedras e tijolos no local onde atraía muitas moscas. O corpo da menor foi levado para o IML a fim de ser periciado. A delegada não descarta a possibilidade da participação de mais de uma pessoa no crime.

Desde quarta-feira que o clima era de esperança na porta da dona Jaciane Borges, mãe de Ludmilla, e até vizinhos, pessoas de outras comunidades, além de parentes, fizeram correntes de fé. Hoje, o clima é de revolta, com pedidos de justiça.

O padrasto da menina, Robert Serejo Oliveira, que esteve na casa por duas vezes, pela manhã e de tarde no dia do crime, continua foragido. Por isso, teve prisão decretada.



A Delegada titular do Maiobão, em Paço de Lumiar, Eunice Rubem, informou que Alanna Ludmilla (na foto com a mãe), 10 anos, que estava desaparecida desde quarta-feira, dia 1 deste, foi encontrada hoje enterrada numa cova rasa no quintal da própria com os braços amarrados e a cabeça desfigurada por causa da violência a que foi submetida. A menina teria sido enterrada viva, o que falta ser comprovado pela perícia.

Comoção e outros casos

O desaparecimento da criança de 10 anos de idade foi comunicado logo na quarta-feira e, desde então, tem abalado não só os moradores da região de São Luís, no Maranhão, mas todos os brasileiros, que acompanham a história pelas redes sociais e pelos veículos de comunicação.

O caso de Alanna Ludmilla – que remete ao das duas meninas desaparecidas no mês passado e encontradas mortas no porta-malas de um carro, na zona leste de São Paulo – acontece em meio a dias de comoção pelo caso de Kelly Cadamuro, uma radiografista que desapareceu na última quarta-feira e foi encontrada morta, nesta quinta (2), no meio de uma viagem à cidade do namorado, no Triângulo Mineiro.
Fonte Agência Brasil | EBC e Araraquara news PARA O G2
3
0 Comentários

Postar um comentário