Seguidores

ECONOMIA

CUITEGI

FOTOS

EMPREGOS

Video

Sob forte comoção, corpo de Ana Paula é sepultado no Campo da Paz



O corpo da jovem Ana Paula Ramos, de 25 anos, vítima de um homicídio que teria sido contratado pela cunhada Luana Barreto Sales, foi sepultado sob forte comoção de centenas de pessoas que foram ao cemitério Campo da Paz, em Campos, para se despedirem da universitária na tarde desta quinta-feira (24). O cortejo aconteceu logo após a celebração de um culto em memória da vítima, em uma das capelas do cemitério, onde aconteceu o velório. Ana Paula era evangélica, assim como toda a família. Ao prestar suas últimas homenagens, o irmão de Ana Paula acabou passando mal.
Um drama que comoveu boa parte da cidade e levou até ao cemitério pessoas vindas de vários locais que se solidarizavam com a família. Abalados, os familiares pediram discrição quanto à divulgação dos fatos.

De acordo com o IML, a perícia atestou a hora do óbito com o horário da morte cerebral atestada pelo Hospital Ferreira Machado (HFM), na noite de segunda-feira (20). Segundo a perícia, a causa do óbito foi “morte cerebral, decorrente de trauma no crânio por perfuração de projétil de arma de fogo”. De acordo com informações de familiares, ainda extra-oficiais, por volta das 22h de quarta (23), Ana Paula teve falência múltipla dos órgãos.
O caso — A Polícia Civil revelou na manhã da última quarta-feira (23), em coletiva, a trama que culminou na morte da universitária Ana Paula Ramos, de 25 anos. Acreditando na amiga de infância Luana Barreto Sales, de 24 anos, a jovem noiva, com casamento marcado para outubro, foi atraída para uma emboscada na noite do último sábado (19). Em uma simulação de assalto, ela levou três tiros, um na cabeça e dois no tórax.
  • Sepultamento aconteceu no Campo da Paz

    Sepultamento aconteceu no Campo da Paz

Luana foi apresentada na 146ª Delegacia de Polícia (Guarus), como mandante da morte da amiga e cunhada. Ela e outros três participantes do crime foram indiciados por homicídio triplamente qualificado (morte mediante pagamento, motivo torpe, dificuldade de defesa da vítima e feminicídio).
A perícia recolheu os projéteis e conclui, ainda nesta quinta-feira, o laudo do legista para encaminhar à 146ª Delegacia de Polícia (Guarus), onde o caso está sendo investigado.
O delegado titular da 146ª DP, Luiz Maurício Armond, informou que os suspeitos já foram transferidos às unidades prisionais de Campos.

G2 RIO
3
0 Comentários

Postar um comentário