Seguidores

ECONOMIA

CUITEGI

FOTOS

EMPREGOS

Video

Vereador é preso acusado de vender equipamentos de secretaria pela internet na Paraíba

Um vereador do município de São Mamede, na Borborema paraibana, foi preso em flagrante por peculato – crime contra administração pública realizado por funcionário público – na segunda-feira (10). Segundo a Polícia Civil, ele estava vendendo objetos pertencentes à Secretaria de Educação do Estado (SEE), e para efetuar as vendas anunciava os produtos em sites de vendas. Também foi preso um técnico em informática que estava negociando os equipamentos públicos.
De acordo com o delegado responsável pelas investigações, Demétrius Patrício, as diligências começaram na quinta-feira (6), após uma denúncia de que um equipamento chamado Acess Point – uma espécie de repetidor de sinal de internet Wi-Fi  – pertencente a uma escola estadual da 6ª Gerência Regional de Educação de Patos, estava sendo ofertado em um site de vendas pelo valor de R$ 500. Nas fotos de exibição do produto constava o número de tombamento da Secretaria de Educação.
A partir da denúncia agentes entraram em contato com o “anunciante” e marcaram um encontro no Centro de Patos para suposta transação do equipamento. No momento do encontro um técnico de informática, de 25 anos, foi preso em flagrante por crime de receptação.
Na sequência da investigação, a polícia descobriu que o desvio e apropriação dos equipamentos públicos estavam sendo feitos por Francisco das Chagas Medeiros, conhecido como Chaguinha Medeiros, vereador do município de São Mamede. Outros equipamentos, todos pertencentes ao Estado, também foram encontrados com ele. Chaguinha informou que estava “guardando” os equipamentos em um sítio na zona rural de São Mamede.
Chaguinha de Medeiros foi preso em flagrante por crime contra a administração pública – peculato e furto praticado por agente público – e encaminhado para o Presídio Regional Romero Nóbrega, em Patos, onde vai ficar à disposição da Justiça. Já o técnico de informática foi liberado após pagamento de fiança.

G2
3
0 Comentários

Postar um comentário