Seguidores

ECONOMIA

CUITEGI

FOTOS

EMPREGOS

Video

Corpo no IML de Baía Formosa não é de Araçagiense desaparecido em Coqueirinho



Continua desaparecido Ivandro Batista, que neste domingo (30) completa exatamente oito [08] dias do desaparecimento, natural de Araçagi, Região Metropolitana de Guarabira, sumiu nas águas após salvar o filho das correntezas na praia de Coqueirinho, Baía da Traição, Litoral Norte paraibano. O local é improprio para o banho devido ao encontro do rio com o mar, pescadores disseram que nesse lugar as correntezas tornam-se fortes.


Vandinho, como era conhecido por todos, foi visto pela última vez pelo seu filho, o menino percebeu que seu pai afundou nas águas, o ergueu e notou que se encontrava com os olhos brancos e virados. Além do garoto, Vandinho estava acompanhando de um amigo, identificado por Raphael Fernandes que conseguiu nadar para fora das correntezas.

Raphael havia dito que na praia existia um braço de areia, com uma extensão de quase 1km, que ligava a praia ao paredão (quebra-mar), mais não se aproximaram do local. Disse que chegaram a ficar bastante distante da 'praia', nessa caminhada encontraram um local aparentemente de águas calmas, e resolveram mergulhar, só não imaginavam o tamanho do perigo, afirmou que por baixa existia uma corrente marítima  que os arrastaram. 

Segundo Raphael, nesse instante Vandinho só pensava em salvar a vida do filho, quando minutos depois desapareceu nas águas.  

Na foto abaixo aparece Vandinho, seu filho e Raphael Fernandes. 

Neste sábado (29) familiares receberam uma ligação, informando que no Instituto Médico Legal (IML) de Baía Formosa, Rio Grande do Norte, encontrava-se um corpo sem identificação, e poderia ser o de Vandinho. O irmão do desaparecido, Irenildo se descolocou ao estado vizinho, no local constatou que não se tratava de Ivandro.

No decorrer da semana surgiu informações que comprovadamente falsas, haviam encontrado o corpo de Vandinho no mar de Piragir, litoral potiguar. Amigos se dirigiram ao local, e atestaram a falsidade dos relatos.

G2

3
0 Comentários

Postar um comentário