Seguidores

ECONOMIA

CUITEGI

FOTOS

EMPREGOS

Video

Polícia manda para presídio, empresário suspeito de golpes em JP

Polícia manda para presídio, empresário suspeito de golpes em JP
A Justiça converteu, na tarde desta quarta feira (15), a prisão em flagrante de um empresário de 46 anos, para preventiva e encaminhou o homem, suspeito de estelionato para o Presídio Flósculo da Nóbrega (Roger), em João Pessoa.


O empresário do ramo de venda de veículos foi preso nessa terça-feira (14), por policiais da Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF) da Capital, em seu estabelecimento comercial localizado no bairro de Mandacaru, na zona Norte da cidade.

Ele estava sendo investigado por fraudes relacionadas à venda de carros.


“O suspeito teria negociado dois veículos, no valor total de R$ 20 mil, recebendo os valores de suas vítimas e negando-se posteriormente a entregar os bens adquiridos. Por causa do golpe, uma das vítimas que tem um filho com necessidades especiais está impossibilitada de se deslocar, pois não recebeu o carro negociado pelo suspeito, que sequer devolveu os valores pagos na negociação”, disse o delegado da DDF, Lucas Sá.

As vítimas que procuraram a Delegacia informaram que o suspeito chegou a simular depósitos bancários para que não descobrissem que os veículos não seriam entregues. O empresário já tinha sido preso pela Delegacia de Defraudações e Falsificações, em junho de 2016. Na época ele foi investigado por negociar carros de sinistros de leilões judiciais e pela prática de crimes de ameaça. O homem dizia ser homicida e afirmava não temer nenhum tipo de represália. Ele foi solto poucos dias após a prisão e retornou às suas atividades comerciais normalmente.


O empresário já responde a dois processos criminais em tramitação na Comarca de João Pessoa. Agora ele foi autuado pelos crimes de apropriação indébita e estelionato. Com a decisão da Justiça ele vai aguardar no presídio pelo Julgamento. A Delegacia de Defraudações e Falsificações vai continuar o trabalho investigativo para identificar outras vítimas, para que elas possam ser ressarcidas pelos prejuízos e o suspeito responda por todos os crimes que cometeu.
3
0 Comentários

Postar um comentário