Seguidores

ECONOMIA

CUITEGI

FOTOS

EMPREGOS

Video

Andrade Gutierrez tinha caixa 2 único para pagar propina, diz ex-executivo

“Era uma situação amadora, era a forma como a cúpula da empresa encontrou para cumprir determinados compromissos que havia aceitado”, disse Barra, em depoimento

Ex-executivo da Andrade Gutierrez, Flávio David Barra O ex-executivo da Andrade Gutierrez, Flávio David Barra, confirmou nesta quinta-feira (16) ao juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal da Justiça Federal no Rio de Janeiro, que a empreiteira tinha caixa 2 único para pagamento de propina. Ele disse não saber se houve pagamento de propina para participar das obras do Estádio do Maracanã.

Leia mais Notícias no Portal Correio

“Era uma situação amadora, era a forma como a cúpula da empresa encontrou para cumprir determinados compromissos que havia aceitado”, disse Barra, em depoimento.

Nessa quarta-feira (15), os ex-executivos da Andrade Gutierrez Rogério Nora de Sá e Clóvis Renato Primo reafirmaram que a construtora pagou propina para participar das obras de reforma do Estádio do Maracanã, em manobra chamada de “contribuição de governo”.

Barra foi ouvido como testemunha no processo da Operação Saqueador. A investigação refere-se ao esquema de desvio de recursos públicos e lavagem de dinheiro no valor de R$ 370 milhões.

O esquema desvendado na operação desencadeada em junho do ano passado pela Polícia Federal e pelo Ministério Público Federal (MPF) tem como principais acusados o dono da Construtora Delta, Fernando Cavendish, e o contraventor Carlinhos Cachoeira. Além deles, foram denunciadas 21 pessoas, entre executivos, diretores, tesoureira e conselheiros da empreiteira e proprietários e contadores de empresas fantasmas, criadas pelo contraventor e pelos empresários Adir Assad e Marcelo Abbud.

Barra já foi condenado por Bretas na Operação Lava Jato e, junto com o ex-presidente da empreiteira Andrade Gutierrez, Otávio Marques de Azevedo, teve um acordo de delação homologado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascki, que morreu em janeiro deste ano.

Nesta quinta-feira (16) à tarde, o ex-senador Delcídio do Amaral presta depoimento ao juiz Marcelo Bretas como testemunha de acusação no processo da Operação Saqueador.


3
0 Comentários

Postar um comentário