Seguidores

ECONOMIA

CUITEGI

FOTOS

EMPREGOS

Video

Miss Brasil é furtada por concorrente

Miss Brasil é furtada por concorrente
 Um barraco digno de filme. Quem assistiu ao longa “Miss Simpatia” deve se lembrar da rivalidade nos bastidores dos concursos de beleza. E a realidade pode ser mais dura que a ficção. Em Tóquio, no Japão, desde o dia 15 de outubro para participar do Miss Beleza Internacional 2015 — o mesmo que Grazi Massafera participou em 2004 —, Isis Stocco, que recebeu o título no Brasil, está sofrendo o que comumente se chama de bullying. A menos de 12 horas para a final do concurso, a modelo ainda não sabe se vai poder usar o vestido de gala que levou na bagagem. Tudo por conta de uma treta com a Miss Cuba.


Isis Stocco e Heidey Fass, a miss cubana, chegaram ao Japão e passaram a dividir o mesmo quarto de hotel. Há uma semana, Isis chegou ao quarto e encontrou seu vestido todo picotado. “Ela diz que a cubana é muito desorganizada e algumas discussões por conta disso aconteceram. Daí, ela chegou ao quarto e encontrou a roupa destruída. Ela é a principal suspeita”, conta Elaine Barrionuevo, organizadora da etapa brasileira: “E a cubana foi dizer que a própria Isis rasgou o vestido para chamar atenção. Uma loucura”.


Enquanto isso, outras misses tentam ajudar a colega brasileira. “Elas estão lá tentando consertar e Isis foi trocada de quarto. Mas as misses da Venezuela e do Canadá ficaram de emprestar um vestido para ela”, tranquiliza Elaine. Além do vestido, Isis teve seu celular furtado e todos os biquínis que levou para o Japão sumiram de uma hora para a outra. Apesar de todas as suspeitas recaírem sobre a moça de Cuba, a organização não conseguiu provar sua culpa no bafafá.


A nova Grazi Massafera

Natural de Maringá, no Paraná, Isis Stocco, de 23 anos, participa do mesmo concurso que Grazi Massafera participou em 2004, na China. Ambas são paranaenses e loiras. São 72 misses do mundo inteiro a disputar o título na tarde desta quinta-feira, 5, no Japão (aqui, o concurso começa às 5h). Segundo os organizadores no Brasil, a estudante de Direito está muito bem cotada para ficar entre as dez finalistas. “Pelas fotos que vemos, as atividades realizadas por lá e o destaque que ela teve muitos dizem que ela tem chance de ser a vencedora”, especula Elaine: “Desde 1968 não trazemos o título para casa”.

Caso ganhe, Isis vai embolsar cerca de R$ 100 mil, além de contratos com marcas de beleza, e vai visitar os países que fazem parte do concurso. Inclusive, Cuba.

Extra
3
0 Comentários

Postar um comentário